Print Friendly, PDF & Email

Compreender o cabelo

É constituído por cerca de 80% de queratina, 10% de água e 5 a 10% de pigmentos e lípidos. O cabelo renova-se espontaneamente ao longo da vida, seguindo um ciclo imutável. A sua parte visível, em que apreciamos o brilho e flexibilidade, está no entanto biologicamente morta: é através da raiz, dentro do couro cabeludo, a única parte viva do cabelo, onde o cabelo cresce.

A estrutura do cabelo
À semelhança das unhas e dos pêlos, o cabelo é composto principalmente de queratina, uma substância proteica dura e fibrosa. O normal é existirem 120 000 a 150 000 cabelos, ou seja cerca de 250 cabelos por cm2 de couro cabeludo, num diâmetro médio de 50 a 100 micrómetros. O cabelo é composto por duas partes:
A raiz ou bolbo piloso, a parte viva do cabelo, está dentro do folículo piloso. É ai que são produzidos os queratinócitos que constituem o cabelo, assim como a melanina que o colora.
A haste, parte visível do cabelo, mas biologicamente morta: é na verdade composta por células mortas cheias de queratina. A haste é ela mesma estruturada em três camadas concêntricas:
A medula, substância mole situada no coração da haste, composta por células sem núcleo aglomerado.
O córtex, que envolve a medula é composto por dois tipos de fibras de queratina, horizontais e verticais, que dão ao cabelo a sua flexibilidade e resistência. É também no córtex que se situam os pigmentos da melanina que dão a cor ao cabelo.
A cutícula, a camada mais externa do cabelo, formada por escamas de queratina, sobrepostas umas nas outras como as telhas no telhado.
O cabelo está coberto de uma camada de gordura de sebo, produzido pela glândula sebácea dentro de cada folículo piloso. Esta substância, indispensável à sua saúde, protege-o, nutre-o e garante flexibilidade e brilho.
A cor do cabelo
A cor do cabelo é proveniente da melanina, um pigmento natural produzido pelas chamadas células melanóciticas situadas na raiz. Existem dois tipos diferentes de melanina: o primeiro (eumelanina, castanho a vermelho) é responsável pelo cabelo castanho a preto, enquanto o segundo (feomelanina, vermelho a amarelo) colora o cabelo loiro a ruivo. Dependendo da quantidade de melanina no cabelo, a cor é mais ou menos acentuada.

A cor do cabelo está gravada no código genético de cada um de nós, mas os factores externos (o sol, o sal…) podem contribuir para aclarar o cabelo. Com o avanço da idade, os melanócitos tornam-se mais raros e escasseiam. E aparece então o cabelo grisalho ou branco, quase desprovido de melanina.

O ciclo de vida do cabelo
Ao longo da vida, o nosso cabelo cresce, cai, e renova. Este ciclo de renovação está programado desde a nascença: cada folículo piloso é capaz de produzir cerca de 15 cabelos sucessivos, em seguida pára a sua actividade e morre. O crescimento do cabelo não é contínuo, mas ocorre em três fases sucessivas:
A fase anágena, dura dos 3 aos 7 anos, durante a qual o cabelo cresce cerca de 0.3 mm por dia (ou 1 cm por mês). São produzidos novos queratinócitos ao nível do bolbo piloso que empurram os mais velhos para o exterior, alongando assim o cabelo.
A fase catágena, dura 3 a 4 semanas, durante a qual os queratinócitos do bolbo piloso degeneram e morrem. O bolbo volta então a aparecer lentamente à superfície do couro cabeludo.
A fase telógena, dura 3 a 4 meses: o cabelo cai naturalmente, ocorre um período de latência durante o qual nada acontece, antes do início de um novo ciclo.

Apesar das diferentes fases que todo o cabelo atravessa, o nosso cabelo conserva uma densidade visível constante (à excepção da alopécia). A explicação está no fato de cerca de 90% do nosso cabelo estar na fase de anagénese. Por esta razão as dezenas de cabelos que perdemos todos os dias passam despercebidas.

Descubra as nossas soluções: cabelos fragilizados, queda de cabeloestados peliculares.